quarta-feira, 18 de outubro de 2017

THEODOR W.ADORNO : CORRESPONDÊNCIA 1928/1940 ADORNO/BENJAMIN

Um dos melhores livros que eu li esse ano de 2017, até agora! As cartas demonstram uma historia de amor, respeito, solidariedade, beleza, sabedoria entre estes dois belos filósofos! Eu fiquei fascinada por ambos. 
"Nesse livro o leitor encontra um dos mais importantes documentos sobre a história intelectual do século XX. A correspondência entre  Theodor Adorno e Walter Benjamin esclarece embates a respeito do destino do pensamento dialético, bem como expõe com clareza saga dramática dos intelectuais alemães diante do nazismo". Isso é o que está escrito na ultima capa do livro, e eu concordo.
Para quem como eu adora uma missiva essa troca de cartas entre dois grandes pensadores foi um ótimo alento! Walter Benjamin era 13 anos mais velho do que Theodor Adorno e foi seu professor, e foi Adorno e a sua mulher, Felicia quem mais apoiaram o Benjamin nos anos de chumbo da vida dele!
LINDO LIVRO!
Editado com muito cuidado pela Editora da UNESP. SP 2012

GOG - GIOVANNI PAPINNI

Comprei esse livro no sebo de rua do Leblon, RJ, pelo título. Sempre fui fascinada pelos personagens GOG E MAGOG. E é a primeira vez que eu vi um livro desse autor italiano. São pequenas crônicas em torno de um só personagem, um magnata norte-americano, meio índio meio havaiano que resolve abandonar tudo, sua fortuna, seus negócios para conhecer o mundo e suas diferenças culturais. São crônicas que criticam o comportamento humano em geral. Escrito em 1930 e muito atual. Poderia ser até um retrato falado do Brasil de hoje e suas agruras.
EDITORA NOVA FRONTEIRA, 1981

RAJ - GITA MEHTA

Quando terminei de ler CARMA/COLA, dessa autora logo senti que ia querer ler todos os outros que ela escreveu e que estão traduzidos para o nosso idioma português!
Então escolhi RAJ, um entrelaçado de ficção com a HISTORIA real de uma Índia que foi tão explorada pelos britânicos!
A Metha faz um romance contando a vida de uma jovem, filha de um marajá contrário aos ingleses na Índia, cuja mãe ao ficar viúva obriga-a  a casar com um jovem playboy de um reino antigo indiano que tem adoração pelo império britânico.
O final é surpreendente. Muito bom.
EDITORA COMPANHIA DAS LETRAS,SP 2008
Tradução :José Rubens Siqueira



RAQUEL DE QUEIROZ - AS TRÊS IRMÃS

Esse é o quinto livro que eu leio da escritora brasileira, nascida no Estado do Ceará, Raquel de Queiroz. Essa publicação em sua primeira edição, em 1939, foi oferecida ao poeta pernambucano Manuel Bandeira.
Escrito na primeira pessoa ela narra a vida de uma jovem enviada a um colégio de freiras, em regime interno no interior do Ceará. As agruras das jovens meninas e suas déspotas religiosas em torno de uma moral pré estabelecida pela doutrina cristã.
A autora faz uma leve critica a todo esse esquema e poe em cheque o que seja a fé e seu fervor.
Gostei muito.
Essa edição é de 1980.
Editado por  LIVRARIA JOSÉ OLYMPIO EDITORA, RJ 1980
Capa de POTY

PS: Esse livro pertence á estante da Casa do Livro, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro .

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

O GANSO SELVAGEM - OGAI MORI

OGAI MORI AUTOR JAPONES POUCO CONHECIDO NO BRASIL.
É O SEGUNDO LIVRO QUE EU LEIO DELE. ADOREI!
EDITORA TESSITURA,BELO HORIZONTE, 2010

terça-feira, 15 de agosto de 2017

CARMA COLA - GITA MEHTA

Primeiro livro dessa autora indiana que eu leio; foi o livro eleito para carregar na bolsa e ler nas filas de espera ou no metrô,  ao mesmo tempo em que eu lia Arundhati Roy "O MINISTÉRIO da FELICIDADE ABSOLUTO . 
Carma - Cola são pequenas histórias em que Gita Mehta narra algumas más experiencias de ocidentais de vários países, como França, EUA, Inglaterra, Dinamarca, Itália, Alemanha, Noruega, Suécia,  e até Brasil que se envolvem com todo tipo de gurus falsos ou não numa corrida desesperada para se livrarem do tédio e do desespero de um mundo cada vez mais materialista. O ocidental na procura dos mestres, pandits e gurus indianos e todos os mitos de tudo isso chamado  "espiritualismos". Muitos artistas fizeram esse caminho para a Índia.
Gostei muito. E já adquiri "RAJ", o livro dela mais conhecido entre nós, ocidentais.


EDITORA COMPANHIA DAS LETRAS, SP, 1999

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

ARUNDHATI ROY - O MINISTÉRIO da FELICIDADE ABSOLUTA

Arundhati Roy é a autora do livro "O deus das pequenas coisas", publicado em 1997 e que ganhou vários prêmios importantes na época. Vinte anos depois ela publica O MINISTÉRIO da FELICIDADE ABSOLUTA. Após o lançamento de "O deus das pequenas coisas" ela em uma entrevista disse que não pretendia escrever mais ficção. Em vinte anos ela publicou 17 livros de ensaios sobre cinema e arte, que não foram traduzidos para a língua portuguesa.
Hoje acabei de ler "O ministério da felicidade absoluta" e fiquei tão embevecida quanto quando terminei de ler o seu primeiro romance, já citado, em 1998. Enquanto no primeiro romance ela escreveu sobre três gerações de uma família do Kerala, região ao sul da Índia, nesse segundo ela escreve sobre pessoas, ao norte da Índia, nos movimentos de disputa por Caxemira (entre hinduístas e paquistaneses muçulmanos e siques). A historia começa com o nascimento de uma criança. " Ela era a quarta de cinco filhos, nascida numa noite fria de janeiro, à luz de lampião (energia cortada), em Shabjabanabad, a cidade murada de Delhi. Ablam Baji, a parteira que a trouxera ao mundo e a colocara nos braços da mãe enrolada em dois xales, disse :' é um menino'. Dadas as circunstancias, seu erro era compreensível".
A partir dessa personagem todas as outras se desenrolam ao seu redor e com várias vertentes, mas tudo tem a ver com as disputas politicas por Caxemira, comunistas maoístas, siques que transitam nos dois lados (esquerda/direita) , hinduístas com suas castas, dos muito ricos & dos muito pobres , cristãos, modernização da Índia. Belo livro. Bela historia.
  
EDITORA COMPANHIA DAS LETRAS, SP 2017
Tradução de José Rubens Siqueira
Capa Mayank Austen Soofi